Bem vindo, visitante!   Registar   Login

Publicar um anúncio

Robô de carga aumenta a produtividade dos empregados em até 30%

    Hortifruti    16/12/2018

A startup de robótica Augean Robotics surgiu com Burro, uma versão robô de um pequeno burro que pode transportar até 227 kilos para um trabalhador agrícola, aumentando a produtividade em 20 a 30%, de acordo com a empresa.

“Temos um carro que segue, aprende rotas e reexecuta-as por conta própria”, diz Charlie Andersen, CEO da startup, com sede em Filadélfia, Pensilvânia. “Poderia haver uma iteração do consumidor no futuro”.

A Augean Robotics escolheu a agricultura porque a indústria está preparada para robôs que podem ajudar pessoas que estão trabalhando ao ar livre, colhendo frutas e legumes.  O Burro funciona como uma correia transportadora virtual acompanhando os trabalhadores, movimentando a carga de forma autônoma e capturando dados para automatizar ainda mais o trabalho agrícola.

“Estamos descobrindo que em muitas colheitas à mão – como uvas de mesa, mirtilos, framboesas e amoras – cada pessoa que colhe caminha vários quilômetros por dia, carregando embalagens pesadas, para trás e para frente”, explica Andersen. 

“Com um único Burro subindo e descendo linhas autonomamente, um grupo de pessoas pode colher 20 a 30% a mais de produtos por dia, auxiliado por uma correia transportadora virtual executando o que foi programado para um ponto de coleta.”

Um trabalhador agrícola pode andar de três a cinco quilômetros por dia, eventualmente empurrando mais de 80 quilos de produtos colhidos de volta para um local central, depois recomeçando. O Burro pode rastrear os trabalhadores, aproximar-se quando um carrinho de mão estiver cheio, levar o que foi colhido para o local central e repetir o processo. O robô aprende como funciona e pode ser expandido para executar mais e mais tarefas de forma autônoma ao longo do tempo.

” Cada Burro que construímos é repleto de câmeras, conectado à nuvem, tem GPS, pode executar modelos de aprendizado profundo e pode ser expandido com anexos de autonomia para fazer tudo, desde transporte de carga, pulverização local até poda e colheita”, explica Andersen. 

Nos próximos seis meses, a startup planeja executar testes de campo pagos e testes com parceiros de produtores para ajudar a refinar o Burro. Em meados de 2019, a Augean estará no mercado com o primeiro robô que os produtores podem comprar. A Augean pretende vender Burros por cerca de US$ 10.000 cada, mais as taxas de envio e assinatura para mantê-los on-line. Andersen estima que o aparelho será capaz de se pagar com aumento de produtividade em menos de um ano.

Fonte: forbes.com

267 visualizações, 2 hoje

Startup desenvolve veículo terrestre não tripulado para horticultura

    Hortifruti    26/11/2018

A startup de alta tecnologia da Nova Zelândia, Robotics Plus – fabricante de sistemas de automação para lidar com escassez de mão-de-obra em horticultura e silvicultura – revelou um investimento de US $ 8 milhões da Yamaha.

Yamaha Motor Ventures & Laboratory, com o CEO do Silicon Valley, Hiro Saijo, diz: “Investimos na Robotics Plus para nos ajudar a alcançar nossa meta de tornar a agricultura mais sustentável, saudável e segura.  Para atender às demandas significativas e crescentes da agricultura, incluindo a escassez de mão-de-obra agrícola em todo o mundo, precisamos criar robótica e tecnologias de automação de precisão e sofisticadas”.

O CEO da Robotics Plus, Matt Glenn, diz: “Desenvolvemos uma relação comercial mutuamente benéfica com a Yamaha. Podemos nos beneficiar de seu conhecimento especializado em automação de precisão, fabricação e acesso a componentes de alta qualidade para nos ajudar a desenvolver nossas tecnologias. Eles também podem se beneficiar trabalhando com a Robotics Plus, uma empresa líder mundial em robótica e automação, com foco nos mercados agrícola e de horticultura.  Isso também criará novas oportunidades para desenvolver tecnologias em outros mercados também”.

Fonte: nzherald.co.nz

 

286 visualizações, 2 hoje

A China está tornando seus vegetais maiores, mais rápidos e mais fortes usando eletricidade

    Hortifruti    20/09/2018

Cientistas comemoram avanço, já que os resultados do maior experimento do mundo confirmam que a produção de frutas e vegetais pode aumentar sem agrotóxicos e fertilizantes

Os produtores chineses têm a resposta para uma pergunta que vem desconcertando os cientistas há três séculos: a eletricidade pode impulsionar o crescimento das plantas?

A China tem conduzido a maior experiência do mundo e os resultados estão transformando a produção agrícola na nação mais populosa do mundo com um choque. Por todo o país, desde o remoto Deserto de Gobi de Xinjiang até as áreas costeiras desenvolvidas em frente ao Oceano Pacífico, as fazendas de horticultura com uma área combinada de mais de 3.600 hectares participam de um programa de “electro cultura” financiado pelo governo chinês.

A Academia Chinesa de Ciências Agrícolas e outros institutos de pesquisa do governo divulgaram os resultados de quase três décadas de estudo em áreas com clima, condições de solo e hábitos de plantação diferentes. Eles estão saudando os resultados como um avanço. A técnica impulsionou a produção de vegetais em 20 a 30%. O uso de pesticidas diminuiu de 70 a 100 por cento. E o consumo de fertilizantes caiu mais de 20%. Os vegetais crescem sob fios de cobre descobertos, posicionados a cerca de três metros (10 pés) acima do nível do solo e estendendo-se de ponta a ponta sob o telhado da estufa. Os fios são capazes de gerar cargas rápidas e positivas de até 50.000 volts, ou mais de 400 vezes a tensão residencial padrão nos EUA.

A eletricidade de alta frequência mata bactérias e doenças transmissoras de vírus no ar ou no solo. Também suprime a tensão superficial da água nas folhas, acelerando a vaporização. Dentro das plantas, o transporte de partículas naturalmente carregadas, como íons de bicarbonato e cálcio, acelera e atividades metabólicas, como absorção de dióxido de carbono e fotossíntese, também aumentam.

O professor Liu Binjiang, cientista da agricultura do governo e um dos principais membros do projeto, disse que a corrente elétrica que passa pelos fios tem apenas alguns milionésimos de ampere por volume – menor que a carga de trabalho de um smartphone. “Não faz absolutamente nenhum dano para as plantas ou para os humanos que estão por perto”, disse ele. Graças às conclusões positivas do estudo, a área dedicada às fazendas eletrificadas na China está crescendo agora com uma velocidade sem precedentes, de acordo com Liu, de 1.000 a 1.300 hectares a cada ano. Isso significa que até 40% de crescimento na agricultura de eletro-cultura poderia ser alcançado nos próximos 12 meses. “Os investimentos mais recentes vieram do setor privado”, disse Liu. “O negócio está decolando. Estamos fornecendo a tecnologia e equipamentos para outros países, incluindo Holanda, Estados Unidos, Austrália e Malásia. “A China está um passo à frente do mundo”.

Fonte: South China Morning Post

960 visualizações, 2 hoje

  • Produto natural triplica vida útil de frutas e vegetais

    por em 28/02/2019 - 4 Comentários

    Atualmente, cerca de metade de todos os alimentos cultivados acaba em um aterro sanitário. E em breve chegaremos a um ponto crítico em nossa capacidade de alimentar o mundo. A Apeel Sciences é uma empresa que combate a crise global de desperdício de alimentos utilizando a abordagem da natureza para evitar o desperdício em primeiro […]

  • Empresa americana desenvolve robô para colher morangos

    por em 25/01/2019 - 0 Comentários

    Uma empresa de tecnologia sediada na Flórida que desenvolve há anos um robô que colhe morangos finalmente começou a revelar o produto – primeiro para segmentos de notícias e, no mês que vem, com uma demonstração para produtores que participam de uma convenção anual do setor em Orlando. Os Estados Unidos são o maior produtor de morangos do mundo, produzindo 1,36 […]

  • Aplicativo mensura qualidade de frutas e vegetais para comercialização

    por em 28/01/2019 - 0 Comentários

    O aplicativo móvel ClariFruit monitora e analisa a qualidade e a maturação dos frutos. Ele oferece um método científico para classificar os produtos agrícolas e permite a coleta de dados para determinar a qualidade e o valor dos frutos. A ClariFruit mudará drasticamente a forma como os agricultores tomam suas decisões mais cruciais e revolucionam o […]

  • Maçã negra rara cultivada somente no Tibet

    por em 26/12/2018 - 0 Comentários

    As maçãs são geralmente vermelhas, verdes, amarelas ou uma combinação das três, mas se as condições geográficas certas forem atendidas, elas podem aparentemente crescer roxo escuro, quase preto também. Estas maçãs raras são chamadas de Black Diamond e atualmente são cultivadas apenas nas montanhas do Tibete. As maçãs Black Diamond são uma raça de maçãs Hua […]

  • Câmara fria movida a energia solar para fazendeiros

    por em 10/02/2019 - 0 Comentários

    PROLONGA A VIDA DE PRATELEIRA DE ALIMENTOS PERECÍVEIS DE 2 PARA 21 DIAS A inovação ColdHubs, é uma câmara fria “plug and play” modular, movida a energia solar, para armazenamento 24/7 fora da rede elétrica para preservação de alimentos perecíveis. Aborda adequadamente o problema das perdas pós-colheita em frutas, verduras e outros alimentos perecíveis. Os ColdHubs podem […]

Receba nossas notícias por email

Mantemos os seus dados privados. Leia nossa política de privacidade.

pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish es_ESEspañol pt_BRPortuguês do Brasil
WhatsApp Ajuda